Delta perde em dia fraco (Bruno Chumbinho, 28/09/09)

Um dia forte e um dia fraco. Em um jogo o Delta trás um plantel completo, vence, convence e ganha elogios. No jogo seguinte o elenco some, o time joga improvisado e perde. Essa tem sido a rotina da equipe em 2009.

Este ano tem tudo para ser o pior do Delta desde 2005: o rendimento não chega a 40%, o time já perdeu 10 vezes, foi a sexta partida sem marcar gol. Se em 2008 o ataque funcionou 120 vezes, em 2009 foram apenas 47 gols.

Contando com somente 10 jogadores, o Delta foi, mais uma vez, uma presa fácil. O Tchelas foi superior durante todo o jogo e venceu com tranqüilidade por 3x0.

Os primeiros minutos foram de total pressão do Tchelas que logo abril o placar. O cruzamento vindo da esquerda encontrou Korea, que, sem nenhuma marcação, escorou de cabeça. O Delta perdia de 1x0 e encontrava enormes dificuldades para passar do meio de campo. O entrosamento não existia. Aos poucos o Delta conseguiu reter mais a bola e igualar o jogo, Aurélio acertou a trave na cobrança de falta, mas as chances mais claras continuavam sendo do Tchelas. O primeiro tempo terminou com um resultado justo.

O segundo tempo começou e o Delta partiu pra cima, mais na vontade do que na técnica. O time tinha a posse de bola, mas ainda assim pouco assustava o goleiro adversário. O Tchelas estava bem postado defensivamente. O sol era forte e castigava o Delta que não tinha peças de reposição.

O Tchelas foi ganhando espaço no meio de campo e, jogando nos contra-ataques, levava muito perigo. O time chegou ao seu segundo gol em uma cobrança de pênalti, após rápida jogada na esquerda. O Delta que ainda lutava, sentiu o golpe e passou somente a esperar pelo fim do jogo. Como castigo veio o terceiro gol, nos acréscimos, após uma bela troca de passes do Tchelas.

Nas arquibancadas a torcida do Delta, insatisfeita com mais uma atuação fraca da equipe, cobrou reforços da diretoria.